12/09/2011

Monomotor que fez pouso forçado em Coité está pronto para levantar vôo


O avião fez testes, levantou vôo por cerca de cinco minutos, mas alguns probelams extras que não foram divulgados surgiram e a decolagem foi adiada para esta segunda-feira.


O avião monomotor Ipanema  202 da Embraer, prefixo PT –UPB da Empresa Precisão, que presta serviço de pulverização em lavoura, que fez um pouso forçado por volta das 07h do dia  7 de setembro,  numa fazenda a 1 km do sede do distrito de Aroeira, zona rural de Conceição do Coité, irá mesmo seguir viagem pelo ar. Depois que a equipe de mecânicos da empresa chegou ao local do incidente e ter avaliado as condições da aeronave, entenderam que trocando as peças que foram danificadas haveria possibilidade de levantar vôo.
No sábado, 10, a secretaria de Infraestrutura de Conceição do Coité foi solicitada para fazer uma pista de improviso dentro da própria fazenda para que neste domingo pela manhã, fosse realizada a decolagem, por volta das 08h foi realizado um teste, a aeronave comandada pelo o piloto Diego dos Santos, 32 anos, natural de Rio Grande do Sul, depois de 96 horas, levantou vôo ao meio de pés de mandacaru, fez manobras na área e aterrizou depois de cinco minutos no ar.
Mas algo impediu que o piloto decolasse em definitivo, primeiras informações davam conta de que um problema no GPS havia ocorrido e depois de solucionado a equipe anunciou que os fatores impediram a decolagem, não explicaram os motivos, limitou-se em dizer que a decolagem foi adiada para esta segunda-feira, 12.
Inicialmente a equipe que acompanhava desde a prestação do serviços de pulverização de lavoura numa fazenda no interior de Sergipe, que chegou ao local do pouso cinco horas depois, informaram que a grande possibilidade era de o avião ser desmontado e ser levado em um guincho, inclusive o proprietário da fazenda retirou parte da cerca para facilitar o acesso dos veículos, mas com a chegada da equipe técnica entenderam que a parte danificada na asa esquerda poderia ser recuperada, aparentemente a que havia sofrido maior dano, naquela ocasião a equipe informou que era o desejo do piloto em trocar a peça e levantar vôo.
Depois de realizar o teste nossa equipe tentou uma entrevista com o piloto, mas ele parecia está tenso e não quis responder. 
   
Reportagem e fotos  exclusiva do CN -  Raimundo Mascarenhas

0 comentários:

Postar um comentário