07/10/2011

Laudo aponta que vítima que morreu em acidente com Porsche tinha bebido



O laudo do exame toxicológico realizado em Carolina Menezes Cintra Santo aponta que ela tinha bebido no dia do acidente. A vítima morreu após o carro em que estava bater com um Porsche, por volta das 2h30 do dia 9 de julho, no cruzamento das ruas Tabapuã e Bandeira Paulista, no Itaim Bibi, zona sul da capital paulista.

De acordo com a SSP (Secretaria de Segurança Pública), a delegada de plantão Beatriz Bravo Hernandes, do 15º Distrito Policial, informou que o exame apontou que ela tinha 2,1 g/l de álcool no sangue. O permitido pela lei é 0,6 g/l.

No último dia 3, a polícia divulgou que o laudo do Instituto de Criminalística da Polícia Civil mostrava que o motorista do Porsche dirigia a uma velocidade de 116 km/h a 30 metros do local da batida. No entanto, de acordo com o delegado que investiga o caso, Paul Henry, do 15º Distrito Policial, esta velocidade pode variar em 20 km/h para mais ou para menos, já que, no momento da colisão, o laudo foi inconclusivo. 

As investigações iniciais da polícia davam conta de que o engenheiro estaria a 150 km/h quando bateu no carro da advogada baiana Carolina Menezes Cintra Santos, no dia 9 de julho, no Itaim Bibi, zona sul de São Paulo. A jovem, de 28 anos, morreu na hora. 

O acidente aconteceu por volta das 2h30 da madrugada no cruzamento das ruas Tabapuã com Bandeira Paulista. Segundo uma testemunha que dirigia logo atrás do carro de Carolina, o sinal estava fechado. Ela avançou lentamente o cruzamento, quando seu carro foi atingido pelo Porsche e arremessado contra um poste a mais de 25 m de distância. 

Segundo a SSP (Secretaria de Segurança Pública), o motorista responderá por homicídio doloso (quando há intenção de matar).

Relembre o caso:



Fonte/Reprodução:R7

0 comentários:

Postar um comentário