Viciado em Viagra, Kadafi era violento na cama e comprou máquina para aumentar pênis



O ditador Muamar Kadafi, morto em outubro por forças revolucionárias da Líbia, era um homem vaidoso, viciado em pílulas de Viagra e que mantinha constantes relações sexuais com diversas mulheres, a maioria delas suas guarda-costas. A revelação foi feita por um ex-assistente e chefe de cozinha do ex-ditador ao jornal Daily Mail deste domingo (13).

O funcionário, identificado apenas como Faisal, contou que o Kadafi era muito violento com as parceiras, tanto que algumas delas eram levadas direto para hospitais depois que saíam do seu quarto. A maioria, segundo a fonte, sofria sérios ferimentos internos por causa das relações. Algumas mulheres conseguiram, inclusive, uma maior ascensão social por causa dos presentes e dinheiro que recebiam do ditador, em troca de “favores”. “Elas entravam no quarto dele, Kadafi recebia o seu ‘carinho’ e depois ele saía como se estivesse apenas assoado o nariz”, conta Faisal.

Outra história revelada pelo ex-assistente é que Kadafi teria enviado outro funcionário para Paris com a missão especial de encontrar uma máquina que fizesse seu pênis ficar maior. Com o passar dos anos, Kadafi começou a se preocupar com seu visual e pediu que Faisal pintasse seu cabelo, já que fios brancos já estavam aparecendo. O ditador fez tratamentos para retardar a calvície, começou a usar maquiagem e iniciou tratamentos a base de chá verde para esconder as rugas, contou Faisal, que foi preso pelas forças revolucionárias do Conselho Nacional de Transição da Líbia, após a queda de Kadafi.

(Bahianoticias)

Postar um comentário

0 Comentários