Crônica do dia: Quem procura, (nem sempre) acha.


Certa frase que diz: O falso moralista é um invejoso do sucesso alheio, Condena aquilo que não tem coragem para fazer.  Essa é a mais nova realidade em Paraíso, certo pasquim bloguístico de notícias altamente contaminadas pelo ódio, vem quebrando normas, leis e desrespeitando a todo e qualquer custo a imagem de pessoas que o mesmo sugeri que são: “despreparadas” ou “bestas”, sem fontes, indiretamente acusa e denigre a imagem de pessoas e instituições.

Com a sua “transparência” posta apenas o que lhe é favorável, ou acha que é?, tenta a qualquer custo exterminar com a imagem da atual administração, tentando usar uma linguagem altamente rebuscada e um pobre português que acaba dificultando o entendimento dos seus leitores.  Deixa transparecer em sua “transparência” que há a mão ou alguém por traz de toda essa situação, alguém que não quer dar a cara a tapa.

A manipulação de informações é tão grande, que a ex-gestora visitou recentemente uma instituição acompanhada de alguns técnicos do Tribunal de Contas para presta conta de algumas obras, mas como num passo de mágica a parte do Tribunal de Contas foi simplesmente esquecida ou devia ser tão “transparente” que não foi vista.

No Brasil, o Código de Ética da FENAJ (Federação Nacional dos Jornalistas), estabelece, no art. 2º, I, que "a divulgação da informação precisa e correta é dever dos meios de comunicação e deve ser cumprida independentemente da linha política de seus proprietários" e no art. 2º, II, acrescenta que "a produção e a divulgação da informação devem se pautar pela veracidade dos fatos". Por fim, o artigo 4º afirma que "o compromisso fundamental do jornalista é com a verdade no relato dos fatos, deve pautar seu trabalho na precisa apuração dos acontecimentos e na sua correta divulgação" e o art. 7º, que: "O jornalista não pode (...) II - submeter-se a diretrizes contrárias à precisa apuração dos acontecimentos e à correta divulgação da informação" .

Retornando a primeira linha deste texto recordo-me então da expressão falso moralista, que segundo o dicionário informal quer dizer: pessoa, que prega a moral e os bons costumes, porem no seu dia-a-dia não pratica a moral que ele defende ou julga correta.


Paraíso Urgente



Postar um comentário

0 Comentários