JMC Yamana Gold doa insumos para a usina de compostagem operada pela Recicla Jacobina

Usina está em fase de armazenamento dos adubos orgânicos

A usina de compostagem desenvolvida pela JMC Yamana Gold, por meio do Instituto Yamana de Desenvolvimento Socioambiental, em parceria com a cooperativa Recicla Jacobina, continua a todo o vapor. Neste momento, a usina está em fase de armazenamento dos adubos gerados pelos resíduos orgânicos da empresa e por isso a JMC acaba de doar tambores e sacos de ráfia (utilizados para transporte e armazenamento de materiais).

O composto orgânico, 100% natural, demora cerca de quatro meses para ficar pronto. Após isso entra a fase de armazenamento e finalmente está pronto para ser comercializado. "O saco de 1kg de composto, que pode ser utilizado na agricultura e paisagismo, é vendido a R$2 e o dinheiro gerado é dividido entre os catadores. Todos saem beneficiados, a JMC que possibilita a formação do composto, os catadores com a venda do material e o município que tem o seu resíduo tratado", comemora o administrador da cooperativa, Guilherme Mesquita. "A usina de compostagem implantada pela Yamana é uma inovação para a Bahia, que eu saiba apenas três cidades possuem esse instrumento, Jacobina, Entre Rios e Caetité. Além do bem para o meio ambiente ainda estamos possibilitando a geração de emprego e renda na região", conclui.

"É com muita alegria que estamos vendo o projeto da usina de compostagem tomar corpo e ir avançando. Temos a parceria com a Recicla Jacobina que vem ajudando a destinar aproximadamente oito toneladas de resíduos orgânicos por mês e também estamos abertos para fechar novas parcerias com empreendimentos da região de Jacobina", conta Leonardo Hellstrom, coordenador de Saúde, Segurança, Meio Ambiente e Comunidades da JMC. "Em breve teremos uma novidade que é a coleta de resíduos orgânicos em um bairro piloto da cidade", conclui.

O bairro Inocoop foi escolhido para, em março, ter início a coleta dos resíduos orgânicos. Às segundas, quartas e sextas a Recicla Jacobina irá coletar restos de comida, óleo de cozinha e tudo que for de origem animal e vegetal, em aproximadamente 120 casas de famílias voluntárias. Com isso será recolhido de 80 a 90% do total do resíduo orgânico gerado por esse bairro. "Também vamos coletar os resíduos dos dois hospitais da cidade, Hospital Antônio Teixeira Sobrinho e Hospital Regional Vicentina Goulart", explica Guilherme.

Desde a implantação já foram enviadas para a usina cerca de 47 toneladas de resíduos. A JMC vem feito campanhas de conscientização para a separação e descarte correto dos alimentos que são consumidos no refeitório. Além da destinação correta, os cooperados produzem adubo que pode ser comercializado, gerando mais renda para suas famílias. Para 2021, a meta é reduzir 2,5% do total de resíduos que é gerado por mês.

Sobre a Yamana Gold

A Yamana Gold é uma empresa global de mineração, que emprega mais de 7 mil pessoas nas Américas. A companhia trabalha de forma inteligente, descobrindo e transformando recursos de ouro do mundo em valor e respeitando o meio ambiente e as comunidades onde está inserida. No Brasil, a Yamana possui uma unidade, a Jacobina Mineração e Comércio, localizada na Bahia. A abordagem segura e sustentável do negócio é um valor fundamental da atuação da empresa.

Instituto Yamana de Desenvolvimento Socioambiental

Criado em 2012 pela Yamana, o Instituto Yamana de Desenvolvimento Socioambiental tem como objetivo principal promover o desenvolvimento nas regiões onde atua por meio de iniciativas educacionais, sociais, ambientais e culturais, contribuindo para o desenvolvimento local por meio de ações, projetos e programas específicos, respeitando a diversidade cultural e características locais.

O Instituto Yamana é o responsável pela gestão e desenvolvimento dos programas de responsabilidade socioambiental da companhia e o faz por meio de parcerias com instituições para estimular pesquisas, incentivando ainda o conceito de voluntariado, a ética, cidadania e a democracia.


Postar um comentário

0 Comentários